19 de mai de 2009

Joalheria Art Déco

Cartier



A Exposição Internacional de Artes Decorativas e Industriais Modernas de 1925 em Paris estabeleceu um novo estilo para o Modernismo, que tinha nas formas geométricas e abstratas a expressão maior do design do movimento.

A Primeira Guerra Mundial interrompeu a criação joalheira e quando o conflito acabou, uma das consequências do mesmo foi uma completa alteração nos valores, tradições e costumes. A moda também sofreu uma enorme mudança, acarretada também pela mudança do papel da mulher na sociedade ocidental, mudança esta impulsionada pela necessidade das mulheres terem ocupado o lugar dos homens no trabalho durante a guerra. Começavam os chamados “loucos anos 1920”.
Os vestidos fluidos, de cintura baixa e sem mangas próprios da moda do período pós-guerra eram perfeitos para as jóias Art Déco, geométricas, lineares e com um contraste de cores nunca visto antes. Devido ao consumo desenfreado, fruto da emancipação feminina e também do alívio trazido pela paz conseguida no Tratado de Versalhes, as vendas de jóias alcançaram patamares recordes.

O bracelete pode ser considerado a jóia mais usada do período Art Déco e foram confeccionados em inúmeros designs diferentes, geralmente decorados com diamantes em lapidações carré , rubis naturais e sintéticos e safiras.
A gema mais popular do período foi o diamante. Rubis, safiras, ônix, Esmeraldas, corais, marfins, jades, madrepérolas e cristais-de-quartzo foram também muito utilizados na decoração das jóias Art Déco e, frequentemente, serviam de moldura ao diamante. Para esta gema predileta, as lapidações geométricas eram as favoritas: baguete, triangular e esmeralda. O grande aumento da produção de pérolas cultivadas fez com que a pérola passasse a ser uma gema mais acessível à classe média e faziam parte dos trajes de noite, em colares usados ao pescoço ou torcidos à volta da cintura. O metal mais utilizado foi a platina, além do ouro branco e da prata. Os vestidos de noite, com alças finas e costas nuas ficavam perfeitos com longos colares de pérolas e sautoirs. Os broches eram desenhados para serem usados aos pares, nos vestidos e usou-se muito também o broche em cintos, lapelas de casacos, bolsas, sapatos e chapéus.
Os motivos na joalheria Art Déco eram caracterizados por designs geométricos, diversas combinações de cores criando contrastes e padrões abstratos. Em 1922, a descoberta da tumba do faraó Tutancâmon serviu de inspiração para o período, assim como o Cubismo, as artes persa, africanas e orientais, além do Jugendstil.
A queda da Bolsa de Nova York em 1929, seguida da Grande Depressão, pôs fim aos “loucos anos 1920” e ao delicado e geométrico design Art Déco.


Um comentário:

Anônimo disse...

Olá Julieta

Meu nome é Majieska e sou aluna do 4º ano do curso de Design de produtos da UNIVILLE (universidade da região de Joinville, Santa Catarina), e estou produzindo meu trabalho de conclusão de curso focado no Design de joias, estou usando alguns de seus artigos publicados no site joiabr como fundamentação teóriaca do meu TCC, porém, não encontrei o ano em que você produziu alguns deles, como: "a joalheria grega", "joalheria africana: joias asante", "a historia da joalheria" e a "história da joalheria brasileira", você pode por favor, me fornecer esse dado?

Obrigada desde já,
Majieska Schreiner.