29 de fev de 2008

As Esplêndidas Jóias do Faraó Tutankamon


Fotos: Museu Egípcio do Cairo



A sensacional descoberta da tumba do faraó Tutankamon - 18ª Dinastia revelou os fabulosos tesouros que acompanhavam o soberano egípcio durante sua vida e após sua morte, assim como o alto grau de excelência dos ourives egípcios. Este tesouro está, desde a sua descoberta no início do século passado, no Museu Egípcio do Cairo e representa a maior coleção em objetos de ouro e jóias do mundo.

O sarcófago onde fica a múmia foi feito inteiramente em ouro e esta está coberta com uma enorme quantidade de jóias. Muitas outras jóias foram encontradas em caixas e baús em outras salas da tumba. Os diademas, anéis, colares, peitorais, amuletos, pendentes, braceletes e brincos são de uma qualidade técnica e decorativa altíssimas, raramente igualadas na história da joalheria. Os ornamentos encontrados na tumba de Tutankamon são típicos e maravilhosos exemplares das jóias egípcias. A perpetuação da iconografia e de princípios cromáticos deu à joalheria do antigo Egito – que permaneceu longo tempo sem ser influenciada por outras civilizações - uma magnífica e sólida homogeneidade, enriquecida pelas mágicas crenças religiosas.

Um dos mais esplêndidos menat feitos para o faraó é o que combina a representação da deusa-serpente Wadjet com a deusa-abutre Nekhbet. Desenhos e figuras foram criados a partir de minúsculas gemas esculpidas individualmente e inseridas em células, formadas por fios de ouro ligados a uma base plana de ouro - técnica conhecida como inlay. A jóia, assim como todos os menats, é composta por compridas fileiras de minúsculas gemas e contas artisticamente esculpidas, e nos elaborados fechos a decoração repete elementos de design constantes na peça principal. Estes colares iam de ombro a ombro, por cima do peito. As deidades protetoras Wadjet e Nekhbet representam o Baixo e o Alto Egito e também adornam a testa da máscara mortuária de Tutancâmon.

Uma grande quantidade de asas de falcões, abutres, escaravelhos e também deidades femininas está representada nas jóias do faraó, talvez não só por causa da simbologia inerente destas representações, mas também porque permitiam aos artesãos criações maravilhosas na composição de cores e figuras. Vários pares de brincos foram encontrados na tumba do rei, apesar de que durante o período em que Tutankamon viveu os homens considerados adultos não usavam brincos. Os brincos encontrados são grandes, e eram usados em orelhas furadas num diâmetro mais largo do que se usa hoje em dia. Os furos nas orelhas da máscara mortuária do faraó são proeminentes, mas estes foram cobertos com discos de ouro em vez de brincos, já que Tutankamon havia chegado à idade adulta antes da sua morte.

Como a maioria das jóias encontradas na sua tumba, assim também os braceletes são peças altamente elaboradas e com desenhos intrincados, devido à variedade de motivos complexos. Grandes escaravelhos, projetando-se para fora da superfície do bracelete, eram comuns à maior parte dos ornamentos de braço: além de ser um poderoso símbolo egípcio de regeneração e renascimento, o escaravelho também consta em um dos cinco nomes de Tutankamon. A tumba do faraó é a única a ter escapado aos ladrões de tumba que apareceram ao longo dos séculos no Egito. Os tesouros que a tumba contém atestam a imensa riqueza das cortes dos antigos faraós e são testemunhas mudas do quanto se perdeu na arte e na ourivesaria egípcias. Se, e de acordo com a História, Tutankamon não foi um dos faraós mais importantes a governar o país, então só podemos imaginar os tesouros em jóias que teriam pertencido aos mais poderosos governantes do antigo Egito.

Um comentário:

***ALICE*** disse...

Só podemos imaginar os tesouros saquaedos ... Isso faz meu coração sangrar.