29 de abr de 2008

O Diamante Verde de Dresden

Museu Albertinium de Dresden, Alemanha


Este diamante possui uma cor verde singular, já descrita como cor ‘verde-maçã' ou cor ‘verde-primavera’, e impressiona a todos que observam e admiram suas 58 facetas lapidadas em 29.75 × 19.88 × 10.29mm.

De origem desconhecida - alguns autores citam o Brasil e a Índia como possíveis lugares da descoberta do diamante - foi comprado de um mercador holandês em Leipzig, no ano de 1742, pelo rei da Polônia Frédéric-Auguste Saxe em pessoa, cujo pai tinha feito a cidade alemã de Dresden conhecida como uma das jóias barrocas da Europa. Montado em meio a milhares de diamantes brancos, é uma das jóias da coroa da família Saxe e uma das peças magnas do tesouro da cidade. A jóia só deixou a cidade, severamente bombardeada pelos aliados durante a II Guerra Mundial em 1945, para um “exílio forçado” em Moscou. De volta em 1958, está em exibição no museu Albertinium, imenso palácio principesco que foi totalmente reconstruído.

Em 1988 o Gemological Institute of America - GIA, examinou o diamante, atestando-lhe a extraordinária qualidade e sua pureza foi determinada como VS1, praticamente sem inclusões. Sua lapidação foi considerada pelo mesmo órgão como muito boa, fato incomum para uma gema lapidada antes de 1741.

Um comentário:

Alice disse...

Julieta,
Sou fã do seu blog !
Parabéns, continue sempre !
Alice